quinta-feira, 11 de outubro de 2007

3. Do banjo ao violão

Parece evidente que, em parte, a razão pela qual o banjo tenha perdido o seu papel central na música rural afro-americana deva-se ao fato de que muitas composições do seu repertório tenham sido assumidas por músicos brancos, tendo-se associado com os espetáculos de minstrel brancos e seu racismo generalizado. As mudanças no instrumento também - o tom mais alto e a tensão das cordas, que não podiam segurar uma nota- faziam com que o banjo não fosse tão útil como instrumento de acompanhamento. No entanto, desempenhava ainda esta função entre os cantores brancos, já que utilizavam timbres vocais mais altos, amiúde o falsete, e cantavam com uma nasalidade forte que proporcionava nitidez às letras das canções. O modo de cantar afro-americano, contrastivamente, utilizava timbres vocais mais baixos e enfatizava os tempos mais lentos, fazendo com que fosse difícil cantar ante o breve e animado "plink" do banjo.
A solução para os problemas do banjo foi o violão, que tem um som de baixo mais profundo e que, principalmente quando está afinado por baixo do tom padrão do concerto, produz notas que se mantém num período de tempo suficiente como para encher as pausas de uma frase vocal cantada lentamente. O violão também possui todas as demais características necessárias para que um instrumento popular consiga uma ampla difusão: é barato, fácil de transportar, relativamente duradouro e pode ser tocado junto com uma grande variedade de outros instrumentos. O violão foi que se transformou no instrumento do blues, ainda que muitos dos primeiros estilos do blues se construíram sobre os padrões rítmicos e harmónicos que tinham-se desenvolvido e mantido com o banjo. Nas primeiras gravações de blues podem-se escutar muitos estilos de acompanhamento claramente derivados das técnicas do banjo.

Um comentário:

Rosa Lychnos disse...

Gostei imenso dos artigos aqui deixados sobre as Raizes do Blues, um trabalho que merece os meus parabéns!!

A musica que passa nesta rádio é a melhor.... será que tem algo de Doug macleod??